image image image image
1 2 3 4

JÁ CONVERSOU COM SEU FILHO HOJE???

JÁ CONVERSOU COM SEU FILHO HOJE???


Muitos dos problemas na relação entre pais e filhos se devem à falhas na comunicação. Em muitos momentos os pais não compreendem e se preocupam com algumas atitudes dos filhos.

Nesta situação, o diálogo é um caminho fundamental para que exista maior participação e integração com os filhos.
Existem porem várias formas de diálogo e os pais devem estar atentos a isso. Muitas vezes inclusive o silêncio é uma forma de expressão que deve ser respeitada e compreendida, e em outros momentos longos papos que revelem idéias e emoções podem fluir naturalmente. Comunicar implica em saber ouvir, perceber e compreender as varias maneiras de expressão de uma pessoa, que revelam suas emoções, idéias, vontades etc. assim como tentar ser percebido e compreendido em nossa forma de expressão.
As crianças pequenas por exemplo, tem seu universo particular de comunicação.
Não poderíamos esperar que uma criança de cinco anos conversasse transmitindo organização e maturidade de pensamentos com alguém de 35 anos. Assim sendo para conseguirmos nos comunicar de forma saudável com uma criança é preciso entrar em seu universo infantil.
Um dos principais problemas que dificultam a comunicação é o receio de não ser compreendido. Experiências passadas em que não fomos bem recebidos e aceitos podem causar certa ”magoa” ou deixar como seqüela uma angustia interna que impedirá posteriormente de nos manifestarmos livremente com receio de sofrer uma situação semelhante de humilhação e sofrimento. Esse problema não emerge inicialmente nos filhos que ainda tem poucas experiências de vida, mas sim ocorre freqüentemente com os pais, ou seja, muitas vezes a dificuldade de se expressar encontra-se primeiramente nos pais, que devem superá-la para estabelecer nova dinâmica de relacionamento com seu filho.
Pais que são demasiado rígidos, não toleram erros, e só aceitam comportamentos preestabelecidos para os filhos, agindo com repressão, desvalorização ou desinteresse com o que a criança manifesta espontaneamente, estão sem duvida interrompendo o fluxo espontâneo de comunicação entre eles e ainda podem afetar a auto- confiança nas realizações e a capacidade de expressão dos filhos.
A comunicação familiar é fundamental para que os filhos desenvolvam a habilidade de comunicação futura em outras situações como na profissão ou nas relações afetivas e sociais. É também importante para a própria saúde emocional dos familiares que convivem juntos e passam por tantos momentos particulares, que acabam afetando a dinâmica interna do lar. É através da comunicação que os sentimentos e opiniões podem fluir livremente, propiciando um relacionamento mais intimo e verdadeiro.

ALGUMAS DICAS

  •  Mostre interesse sobre os assuntos diários de seus filhos
  •  Não demonstre qualquer julgamento que possam desvalorizá-los, ao contrario, elogie o que considerar positivo
  •  Não espere que seus filhos tenham comportamentos, pensamentos ou vontades que sejam iguais aos seus, apenas atente pelo que não for saudável e respeite o que forem as escolhas que os deixem felizes.
  •  Respeite a privacidade e compartilhem suas opções e realizações

Aprender a Fracassar

Aprender a Fracassar

Cada frustração, cada contratempo, cada contrariedade, cada desilusão carrega consigo o germe de uma infinidade de capacidades humanas desconhecidas, sobre as quais os espíritos pacientes e decididos vão aprendendo a construir o melhor de suas vidas. O sucesso consiste em aprender a prosseguir, de fracasso em fracasso, sem desesperar-se, dizia Winston Churchill, o conhecido estadista e historiador britânico. Ninguém pode dizer que nunca fracassou, ou que fracassou poucas vezes. O fracasso está ligado à condição humana, que é limitada, e o normal é que todos os homens o constatem com freqüência, a cada dia. Por isso, aqueles que afirmam ser bem-sucedidos na vida, não o fazem por nunca terem fracassado, ou por fracassarem algumas vezes: se triunfam é porque aprenderam a superar esses pequenos e constantes fracassos, à medida que surgem, quer queiramos ou não, na vida de todo ser humano normal. Ao contrário, os que fracassam na vida são aqueles que, em vez de adquirir experiência com cada pequeno fracasso, vão-se afundando um pouco mais. Triunfar é aprender a fracassar. O sucesso na vida consiste em saber enfrentar os inevitáveis fracassos do viver diário. Deste curioso paradoxo depende, em muito, acertar em viver. Cada frustração, cada contratempo, cada contrariedade, cada desilusão carrega consigo o germe de uma infinidade de capacidades humanas desconhecidas, sobre as quais os espíritos pacientes e decididos vão aprendendo a construir o melhor de suas vidas. As dificuldades da vida agem, de certo modo, a nosso favor. O fracasso evidencia nossa própria limitação mas, com o tempo, oferece a oportunidade de nos superarmos, de darmos o melhor de nós mesmos. Desta maneira, convivendo em um ambiente no qual nem tudo nos é dado de graça, é que se vai formando o caráter, adquirindo força e autenticidade. Seria uma completa ingenuidade deixar a vida se consumir numa desesperada busca de algo tão utópico como o desejo de permanecer em um permanente estado de euforia, ou de constantes sentimentos agradáveis. Quem assim pensasse, estaria quase sempre triste, se sentiria infeliz, acabando, provavelmente, por tornar infelizes, também, as pessoas à sua volta. Como dizia G. von Le Fort, "há um tipo de sorte dita claro, e outro escuro, mas o homem incapaz de saborear o escuro, tampouco é capaz de saborear o claro". Ou como dizia Quevedo, "quem, nesta vida, quer todas as coisas ao seu gosto, terá muitos desgostos". Por isso, quando se trata de educar o próprio caráter, ou o caráter dos filhos, é muito importante não se deixar cair em nenhuma espécie de neurose perfeccionista. Porque todos nós cometemos erros. A diferença é que uns tiram proveito deles para o futuro, com humildade, enquanto outros só obtêm amargura e pessimismo. O sucesso, voltamos a repetir, está na capacidade de superar os tropeços com esportividade. Dá pena ver pessoas inteligentes se desmoronarem e abandonarem uma carreira ou um concurso na primeira reprovação; rapazes e moças que fracassam no primeiro namoro e passam a praguejar contra toda a humanidade; ou aqueles que não podem suportar um simples baque em sua brilhante carreira triunfal, seja quanto à amizade, afetividade ou profissão, afundando-se miseravelmente: o maior dos fracassos pode ser deixar de fazer as coisas por medo de fracassar.

Disciplina é Amor

Disciplina é Amor


Meu Filho, não fique revoltado quando for disciplinado pelo Senhor. Não fique desanimado quando ele o corrigir, pois o Senhor disciplina quem ele ama, assim como um pai cheio de amor faz ao seu filho.
PROVÉRBIOS 3:11-12

Disciplina tem a ver com educação, não com castigo ou punição. Deixar de disciplinar as crianças é deixá-las entregues a si mesmas. Colocar regras é estabelecer bases para um relacionamento. Quando seu filho desobedece, não são vocês que o estão punindo; ele próprio optou por um caminho que exige correção. É bíblico: o pecado traz uma conseqüência ruim; a obediência, uma conseqüência boa. A responsabilidade pelos atos da criança deve ser da criança, sempre, e isso é um conceito absolutamente positivo. Educar é uma construção diária que precisa de dois pilares para manter-se de pé: AMOR e LIMITES. Ambos, em constante equilíbrio, são necessários para o bem da criança. Se os pais só dão amor, tornam-se permissivos e não a preparam para enfrentar a realidade do mundo. Se estabelecem apenas os limites, tornam-se rígidos e autoritários. A equação adequada é: amor (entrega) + limites (segurança) = educação eficiente. Pais responsáveis devem lembrar que, ao tentar poupar os filhos, hoje, de pequenas frustrações, estão condenando-os ao sofrimento, amanhã.

Dica do GVC: Não se dobrem a todos os desejos do seu filho. Pense no futuro e nas conseqüências de suas atitudes. Vocês são os responsáveis pela educação dele!

CANTINHO DA REFLEXÃO

Quanto tempo vocês dedicam diariamente para brincar com seu filho?
Quanto tempo vocês dedicam diariamente para conversar com seu filho?
Vocês conhecem seu filho?
Vocês sabem o que ele pensa sobre diferentes assuntos?
Vocês sabem o que ele sente em diferentes situações?

O frasco de maiones e o café

O frasco de maiones e o café

Quando as coisas na vida parecem demasiado, quando 24 horas por dia não são suficientes...
Lembre-se do frasco de maionese e do café.
Um professor, durante a sua aula de filosofia, sem dizer uma palavra, pega um frasco de maionese e esvazia-o...
Tirou a maionese e o encheu com bolas de golf.
A seguir perguntou aos alunos se o Frasco estava cheio.
Os estudantes responderam sim.
Então o professor pega uma caixa cheia de pedrinhas e mete-as no frasco de maionese.
As pedrinhas encheram os espaços vazios entre as bolas de golf.
O professor voltou a perguntar aos alunos se o frasco estava cheio, e eles voltaram a dizer que sim.
Então...o professor pegou outra caixa...uma caixa cheia de areia e a esvaziou para dentro do frasco de maionese.
Claro que a areia encheu todos os espaços vazios e uma vez mais o professor voltou a perguntar se o frasco estava cheio.
Nesta ocasião os estudantes responderam um unânime "Sim !".
Em seguida o professor acrescentou 2 xícaras de café ao frasco e claro que o café preencheu todos os espaços vazios entre a areia.
Os estudantes, nesta ocasião começaram a rir...
Repararam que o professor continuava sério e este, em seguida, lhes disse:

'QUERO QUE SE DÊEM CONTA QUE ESTE FRASCO REPRESENTA A VIDA'.
As bolas de golf são as coisas ESSENCIAIS nas nossas vidas: como a FAMÍLIA, a SAÚDE, os AMIGOS, tudo o que AMAMOS DE VERDADE.
São coisas, que mesmo que se perdessemos todo o resto, nossas vidas continuariam cheias.
As pedrinhas são as outras coisas IMPORTANTES como: o trabalho, a casa, o carro, dinheiro etc.
A areia é todo o resto, isto é as pequenas coisas.

'Se puséssemos primeiro a areia no frasco, não haveria espaço para as pedrinhas, nem mesmo para as bolas de golf.

O mesmo acontece com a vida'.
Se gastássemos todo o nosso tempo e energia nas coisas pequenas, nunca teríamos lugar para as coisas realmente essenciais.
Preste atenção às coisas que são cruciais para a sua FELICIDADE.
Brinque ensinando os seus filhos, netos etc.
Arranje tempo para ir ao médico,
Namore e vá com a sua companheira jantar fora,
Dedique algumas horas para uma boa conversa com seus amigos,
Pratique o seu esporte ou hobbie favorito.
Haverá sempre tempo para trabalhar, limpar a casa, arrumar o carro...
Ocupe-se em primeiro lugar sempre, das bolas de golf , que representam as coisas que realmente valem a pena na sua vida.
Estabeleça suas prioridades, o resto é só areia...
Porém, um dos estudantes levantou a mão e perguntou o que representaria, então, o café.


O professor sorriu e disse:

"...o café é só para vos demonstrar que não importa o quanto a nossa vida esteja ocupada, sempre haverá espaço para um café com aqueles que são essenciais na nossa vida. "

Crianças de 5 anos

Crianças de 5 anos


Nessa idade as crianças querem imensamente desenvolver o seu senso de competência e precisam muito mais de apoio e incentivo dos pais. Precisam saber que são importantes no mundo, para as outras pessoas e que sabem fazer as coisas. Existe uma mudança de expectativa nessa idade que tem a ver com atitudes sociais e intelectuais. Entender essa mudança é essencial, uma vez que a criança passa a ter uma missão importante: resolver problemas e receber aprovação por isso. A criança nessa idade está pronta para aprender o jogo social e são os pais os guias principais. Passam a brincar realmente com as crianças e não apenas perto delas e com isso passam a ter atritos, brigas, amizades. Os pais precisam incentivar o contato social e ajudar a criança a desenvolver a empatia, isto é, saber entender os sentimentos dos outros. Adoram fazer bagunça, ser provocados para lutar e brincar de pega - pega. Na medida em que os filhos crescem os papéis de mãe e pai vão se ajustando. É um processo dinâmico. Mantenha suas expectativas de forma realista, perfeição não existe, crianças são crianças.

Pagina 1 de 2